terça-feira, 15 de julho de 2008

Conversas de gajos...


Desconhecido
(Mas é um espectáculo)



Ontem fui com o H. (digamos que é um companheiro de "luta") tomar café à noite. Como gajos que se prezam, a conversa começou por onde quase todas começam... Mas, inevitavelmente, o tema de conversa foi o mesmo: relações e as nossas histórias.

Resumindo, tivemos um trajecto mais ou menos semelhante: depois de me separar acabei por me envolver com uma mulher passado uma semana. O envolvimento foi muito grande e muito forte. As coisas não correram bem e, ao fim de 3 mêses, afastamo-nos. Importa dizêr que ela é casada e, na altura, separou-se do marido por minha causa apesar de ele não saber que estivemos envolvidos. Depois disso acabei por passar um bocado mal. Lutei muito por ela e durante bastante tempo. Entretanto fui-me mentalizando que o que parecia muito certo e destinado talvez não o fosse e, pelo caminho envolvi-me com alguém que me amou muito. E que merecia muito mais de mim do que aquilo que eu fui capaz de lhe dar...

O H. apaixonou-se por uma miúda e, ao fim de 3 dias, tinha-se separado da mulher por causa dela. O início da relação foi muito difícil, ela não tinha certezas de que era a ele que queria. Ele começou a desesperar e passados uns mêses, começou a afastar-se. Foi então que a miúda descobriu que ele era o homem da vida dela e começou a fazer-se ao caminho. Só que ele começou a sentir falta da segurança que a mulher lhe dava e, por isso, voltou a vê-la. Mas não largou as duas. Estava dividido, como costuma dizêr...
Neste momento vai estando com a mulher. Passa umas horas por dia em casa dela e depois vai para casa dele.


A conversa de ontem era sobre o que sentiamos sobre tudo isto. Eu sinto que valeu a pena ter-me separado da minha ex-mulher e ele acha que no caso dele foi a piôr asneira que fêz.
Eu disse-lhe que recuperei a capacidade de sorrir, mesmo depois de ter falhado os relacionamentos seguintes. Acho que valeu e vale a pena lutar por algo maiôr.
Ele acha que perdeu o encanto pela miúda, destruíu a relação de confiança com a mulher e os familiares dela, e que as separações só trazem infelicidade.
Ah, e também acha que as pessoas se adaptam se quiserem. E que eles os dois são muito incompatíveis mas que funcionam bem...



- Mas olha lá, se são incompatíveis não achas que isso não bate certo ?

- Cala-te, deixa-te lá dessa conversa. Eu só tenho sofrido desde que me separei. Arrependo-me de o ter feito.

- Mas na altura era o que mais querias. Não pensavas noutra coisa. Eu até achava que te tinha que amarrar um cordel aos pés porque tu já parecias um balão a voar por aí fora... (risos)

- Mas não o devia ter feito. E depois, andar por aí sozinho, feito parvo... Tu não estás arrependido ?

-Eu não! Foi o melhor que fiz...

- Mas és mais feliz do que o que eras quando casaste ?

- Não é isso que está em causa. O que havia de bom perdeu-se. Mas digo-te que sou mais feliz agora do que o que era nos últimos dois anos com ela... Mas é que nem tenhas dúvidas disso!

- Eu não. Tem sido só sofrer e ficar mal visto...

- Mas tu é que achavas que a tua vida só girava à volta delas as duas. E não foste capaz de fazer as coisas por ti e para ti...

- Eu quero lá saber disso. Eu não quero é mais preocupações na vida. Quero é levar as coisas na boa, sem me chatear...



Claro que isto se prolongou até ele dizer que já estava a ficar com dores de cabeça... Já parecia uma mulher... Mas a verdade é que somos duas pessoas que encaram a sua vida de forma diferente. A princípio achavamos que o que valia a pena era lutar por sermos felizes com alguém que nos completava, que nos fazia sentir felizes só por estarmos com ela.
As coisas correram mal só que eu continuo a achar que vale a pena. Mas ele não.
Eu tentei reorganizar a minha vida ao meu jeito; ele passou o tempo todo a esgotar-se naquele impasse entre duas mulheres.
Eu recuperei a minha alma, ele perdeu a sua coragem e a sua vontade de sentir.
Eu continuo incomodado; ele está a tornar-se um acomodado...

Já lhe disse que a vida está cá para nos demonstrar quem tem razão. Se é que há razões absolutas. Não sei. Só sei que, para já, estou de bem comigo mesmo. E ele não.
Mas o melhor mesmo é lavar as vistinhas...


4 comentários:

Teresinha disse...

Olá, acompanho o teu blog á muito pouco tempo, mas gostei de saber que afinal nem todos os homens agem da mesma maneira, sofrem e um dia acordam de uma relação que já não é a deles, mas lutam e não ficam á espera que do outro lado aconteça a mesma coisa e seja esse lado a dar a volta.
Infelizmente existem muito homens como o teu amigo, homens mal resolvidos com eles mesmos.
Felicidades no teu novo caminho

miúdo disse...

Olá teresinha

Sabes, não acho que o meu amigo seja mal resolvido. Eu até o entendo. Não temos todos que sêr iguais, ou fortes, ou tão pouco querer o mesmo da vida. As pessoas são isso mesmo: pessoas. Com virtudes e defeitos...
Eu só acho que ele vai ficar mal porque ele está desistir de si mesmo. E é uma questão de tempo até a tristeza e a apatia passarem a dominá-lo. E aquilo que eu vejo na maiôr parte dos casais passa por aí. Por falta de algo que os faça sentir mais. Por falta daquilo que dá um sentido à vida que não seja só o existir por existir...

Fica bem.

Teresinha disse...

Olá Míúdo;
Querer o mesmo da vida é um começo logo fracassado, cada um tem que ter os seus objectivos, nenhum deve viver em função do outro, porque é mais comodo? claro que é, mas e o resto, a tal pessoa, onde está, deixa de existir, para passar a ser uma coisa que anda ali ao sabor do vento, que será o que possivelmente um dia destes acontecerá a esse teu amigo.
Sabes para se chegar a este lado bem connosco, temos que estar certos do salto que se dá, não se pode dár porque apetece, mas por algo muito forte, por ti, especialmente por ti, pela tua vida, por aquilo que és, pelos teus valores, por tanta coisa, e para isso tens que saber que é muito dificil mas depois quando te encontras e sabes que está vivo, tens uma vida para viveres...

Fica bem...

miúdo disse...

Pois teresinha, só que o que me espanta neles os dois é que eles até admitem um ao outro que não são muito compatíveis... Dizer o quê ? Quando duas pessoas reduzem as suas expectativas de vida a este ponto...
Eu continuo a achar que é meio caminho andado para uma vida de apenas meias-alegrias. Mas quem sou eu para fazer juízos a este nível...

Fica bem...