quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

2009

Desconhecido




Um ano que se acaba.
Hoje é apenas mais um dia. Como outro qualquer. Deveria sêr. Mas inevitavelmente, nos 31 de todos os Dezembros, teima-se em fazer um balanço. Porquê a 31 ? É só um dia. Deveria sêr.

Mas um dia, aquele dia em que te vi pela primeira vêz, não é um dia qualquer. É o Dia. Por isso, neste dia, penso muito em ti.
Penso em tudo o que fiz. Tudo o que conquistei e tudo o que perdi. Tudo em que acreditava e continuo a acreditar. E tudo em deixei de crêr.
Quando disse à tua mãe que me queria separar, fi-lo a pensar em ti. Continuo a sentir que foi a melhor solução. A possível, pelo menos...
Sabia que nos iríamos perder um pouco, aos poucos, sempre um pouco mais. Mesmo assim, sinto que foi o melhor.

Sei que sofres com tudo isto, filhote. Todos sofremos, acredita. Mas tu és o único inocente. Não deverias estar a pagar pelos erros dos adultos...
Gostava que tudo tivesse sido diferente. Gostava que pudesses sorrir, de sorriso bem aberto. Sem mágoas.

Não faço promessas, cada vêz menos as quero fazer. Apenas te posso dizer que vou continuar a fazêr tudo para que possas sêr feliz. Mesmo que, por agora, possa perder-te mais um pouco...



Adoro-te, filhote...

10 comentários:

Anónimo disse...

Filhota, cada momento contigo é um momento em que o Mundo para. Vivo a pensar nos escassos momentos em que te vejo. Morreria por ti.
Ainda lembro o teu primeiro olhar, era sereno e doce. Foi para mim, eu estava lá. Agora não estou, mas sinto-te dentro do meu coração.
Um dia vou poder falar-te dos porquês da minha ausência. Vais ser inteligente para os perceber. Vais saber que foi por amor que me afastei. Vais saber que adoraria ter-te mudado as fraldas, adorava ter passeado contigo, adorava ter-te dado um beijo todas as noites, adorava ter sido pai como eu sonhava e tu mereces.
Amo-te com todas as minhas forças.
OVINHO

Mito disse...

Filhos; esse opium, que nos transforma por vezes obsessivos quando a saudade aperta demasiado o coração...
É esta a condição de lutar pela felicidade dos nossos filhos.
por vezes questiono-me;
Será que eles merecem tentar compreender aquilo que nós por vezes,não conseguimos compreender?

Bom Ano Miúdo....
que seja um "pouco" melhor que 2009!
Concordas ;-)

abraço

Mito disse...

dizia 2008....

miúdo disse...

Olá Kinder,

Tu sabes como é...
Abraço

miúdo disse...

Oi Mito,

Fiquei a pensar no que tu disseste...
Um bom 2009. Que haja alma para fazê-lo melhor que 2008.

Abraço :-)

Teresinha disse...

Eu como mãe e estando do outro lado, só tenho pena que todos os pais não sejam assim...
Um otimo Ano de 2009

Doce Veneno disse...

Passei por aqui ao acaso. Este texto tocou-me.

Talvez porque nunca recebi uma carta assim, talvez porque nunca tive direito a uma explicação.

Parabenizo-te por o teres feito. Assim o teu filhote não vai crescer a odiar-te sem saber porquê. Mesmo que ele sinta raiva de ti, vai saber que o amas sempre.

Beijos.

miúdo disse...

Teresinhaaaa :-)
Um obrigado (muito ao retardadôr...)

Espero que esteja tudo bem contigo

Beijo ;-)

miúdo disse...

Doce Veneno...

Tantas coisas que te poderia dizêr...
Todos somos humanos. Falhamos. Muito. Muitas vêzes...
Todos somos responsáveis por algo, por alguém. Mas nem sempre conseguimos estar à altura ou capazes. Mas não pode sêr desculpa...

Um beijo...

Doce Veneno disse...

Desculpa, só agora vi a tua resposta...

Mais do que me poderias dizer, mais ficou por ser dito...

Falhamos muito sim,eu sei.
Mas preferia ter crescido a saber que a ausência se devia á impossibilidade do que á vontade de não saber..

Tinhamos aqui conversa para horas ;) Beijo