quinta-feira, 29 de maio de 2008

Gajas amigas...


Confesso que tenho um bocado a mania de criticar as mulheres. Critico-lhes os defeitos e ponho defeitos onde não existem.

"Andas assim e qualquer dia, viras..."

Pois, é daquelas coisas a que um tipo está sujeito a ouvir... Costumo responder que se lhes dou tanta importância, é porque gosto mesmo delas e as valorizo. O que não deixa de sêr verdade. E a verdade é que, muitas vêzes elas me surpreendem.

Como ontem à noite. Estava um bocado aborrecido quando uma amiga me desafiou a saír de casa às 2.30 da manhã para fumarmos um cigarro algures no meio da cidade.
Primeira ideia que me veio à cabeça: "Huummm, o que é que esta menina quer ?... Isto é um bocadinho demais para uma amizade que tem meia dúzia de dias..."
Bom, lá acabei por concordar e foi muito bom. Estivemos a falar até que a noite começou a clarear e nos apercebemos que eram 6 da manhã!
Fiquei reconfortado ao sentir que, se calhar, ia têr ali uma verdadeira amiga, sem segundas intenções e sem que tenha existido algo mais do que isso.
O que me fêz pensar que há excepções. Para tudo. E que elas continuam a valêr a pena.

Acho que todo o gajo de bom senso devia têr uma gaja como verdadeira amiga. Faz-nos falta ouvir algo que não venha da cabeça de um gajo. E sempre é uma maneira de se falar de algo mais do que futebol, gajas ou carros...

4 comentários:

barbara disse...

Muito bem. O bicho papão afinal não é tão mal assim.
Parabéns!

miúdo disse...

Pensava eu. Há desenvolvimentos. Infelizmente, a regra ainda não falhou...

barbara disse...

Pronto, pronto, ok.
Só o tempo vai mudar essa maneira pessimista de pensar.
Mas olha que não tens razão. Uma amizade homem - mulher é possível e muito gratificante.
Tenho amigos que adoro precisamente porque são isso: amigos (não são muitos, muitos, os Amigos; mas entre amigos e Amigos existe uma diferença). E não os imagino como algo mais, nem eles. Já rimos e choramos juntos no ombro uns dos outros, já fizemos muita asneira juntos, já dissemos mal dos nossos mais-que-tudo,já nos embebedamos juntos,e em momento algum nos passou pela cabeça algo mais. Assim tipo irmão. E é óptimo.
Por isso, não percas a esperança. Não estão ao virar da esquina, mas existem.
Não achas que esse teu "pé atrás" também te influencia a ver as coisas de uma determinada maneira?
Por falar em pés, continuo deprimida por causa dos pés tortos da selecção.
Não sejas tão pessimista.

miúdo disse...

Não é o pé-atrás, é mesmo como as coisas acontecem...
Também tenho algumas amigas assim, muito poucas, mas a verdade é que são uns bons anos mais velhas do que eu...
Não sou pessimista, apenas me cinjo ao que me tem acontecido...