quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Escreveste-me...


Desconhecido


A vida consegue sêr singular. Cheia de surpresas, de pormenôres. Mesmo nos momentos mais escuros, nos momentos mais perdidos, ela arranja forma de nos surpreender...

Quando disse que me queria separar, fiquei com o pêso de uma relação de 13 anos. Em tudo o que de bom e maú traz. São formas de estar, rotinas, amigos... Descobri que tinha limitado a minha vida a um ponto quase absurdo. Perder a capacidade de deixar a porta aberta para que a vida nos surpreenda pode sêr uma sentença de morte.
Não é deixar a porta aberta pondo em perigo a relação. Mas nós somos feitos de experiências. Que podem sêr vividas a dois, ou entre os dois, seja a relação forte e profunda o suficiente para que isso aconteça de forma natural. Sem mêdos, sem perigos...

Ficou um vazio, um desnorte. Recuperar a identidade... Como se faz ? Com medos ? Sem medos ? Com o quê ? Como ?

Creio que tudo aconteceu naturalmente. Talvez porque nunca tenha tido medo. Talvez porque sou como sou. Porque não fui procurar mas não me fui esconder...
Voltei a sêr eu. Com um pouco mais de mim na vida...
.
Ontem uma Mulher escreveu-me um poema...
Surpreendeu-me. Ou talvez não. Ela é encantadôra e tem uma personalidade forte, como toda a Mulher tem. Admiro o acto de coragem, de entrega que ela consegue ter para com a vida. E deixou-me um sentimento daqueles que nos aquece a alma...

Ontem à noite, entre conversas, sonhos, confissões, uma Mulher escreveu-me um poema. E eu sorri...

2 comentários:

Jakeline USA disse...

Ola tava vendo teu blog e gostei, feliz ano que se inicia , aceite minha amizade bjsssss...


http://lobausa.blogspot.com


e msn e lindafofausa@hotmail.com

Fezzoka disse...

Beeibe, tenho que confessar que adorei o jeito como escreves..

um beijo gigante pra ti..